Você sabia que existe um aviso prévio de 60 dias para migrar de plano de saúde?

Com o reajuste acumulado de 2020, houve um aumento geral nas mensalidades dos planos de saúde, o que gerou dúvidas sobre as regras de cancelamento dos mesmos. Uma delas é referente ao aviso contratual de 60 dias, uma regra que muitos desconhecem e causa prejuízos para diversas empresas.

 

É comum que gestores decidam mudar o plano de saúde que oferecem ao time, ou mesmo realizar a mudança de operadora em caso de insatisfação ou para reduzir custos. E, embora a organização possa solicitar o cancelamento de um dos beneficiários ou de todo o contrato, ele deve notificar tanto o indivíduo quanto a operadora com 60 dias de antecedência e manter o contrato durante esse período.

 

Com a falta de uma consultoria adequada, muitos empresários não sabem disso e acabam pagando duas vezes: pelo plano anterior e pela cobertura da operadora atual. O pedido feito fora do tempo vigente pode ainda ser passível de pagamento de multa. Por isso, é essencial ficar atento a todas as cláusulas do seu contrato com a operadora.

 

É claro que cuidar de um negócio implica em diversas preocupações e, para se manter atento a esses detalhes, é ideal contar com uma consultoria de qualidade para ser informado corretamente sobre cada procedimento. 

 

Caso você esteja considerando mudar de plano de saúde empresarial, consulte a Global Opsi! Indicamos a cobertura mais adequada para as suas necessidades, e nossos consultores estão disponíveis para esclarecer todas as dúvidas sobre a contratação. Evite gastos!

Covid-19: Número de beneficiários de planos de saúde é o maior em quase cinco anos

Com a pandemia de Covid-19, os planos de saúde registram o maior número de beneficiários em quase cinco anos. Essa é uma das informações reveladas na nova edição do Boletim Covid-19, disponível no portal da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), que reúne indicadores coletados até abril de 2021 entre diversas operadoras. Além de mostrar o número de adesões a planos de assistência médica, o boletim também reúne informações sobre o número de exames relacionados à Covid-19 que foram realizados pelos usuários.

 

A tendência tem permanecido, o que ressalta a importância de contar com um plano de saúde de qualidade durante a pandemia. Porém, houveram algumas mudanças, como a redução na ocupação de leitos por atendimentos relacionados ao vírus, que caiu de 79% para 72%. As informações incluem tanto as coberturas para leitos comuns, quanto os de UTI.

 

Ainda assim, em abril, o número de novos clientes atingiu 48.103.656 usuários, um aumento de 0,26% em relação a março, sendo o maior número registrado desde julho de 2016. O crescimento aconteceu em todas as modalidades, em especial nos planos coletivos empresariais, que cresceram 3,15%. Ou seja, cada vez mais gestores estão preocupados em manter a saúde dos colaboradores e reduzir custos.

 

Houve ainda uma melhora no atendimento, culminando em uma queda de reclamações relacionadas à Covid-19 em abril, quando foram registradas 1324 queixas: 40% delas relacionadas à realização de exames e outros 46% se referindo a outras assistências também afetadas na pandemia.

 

Se você ainda não conta com um plano de saúde, fique atento! Esse é um período em que, mais do que nunca, a sua saúde deve ser priorizada.

 

A Global Opsi oferece planos de saúde empresariais e uma consultoria especializada, garantindo a segurança da sua equipe e uma vantagem competitiva para a sua empresa. Fale conosco!

 

Fonte:

https://www.gov.br/ans/pt-br/assuntos/noticias/covid-19/planos-de-saude-numero-de-beneficiarios-e-o-maior-em-quase-cinco-anos  

Preço de Plano de Saúde

Como escolher o melhor plano de saúde?

Durante a pandemia de COVID-19, investir em um plano de saúde de qualidade se tornou ainda mais fundamental para garantir a sua segurança e a da sua família. Porém, existem muitas opções no mercado, e pode ser difícil escolher a alternativa que melhor preenche as suas necessidades.

 

É necessário levar diversos fatores em consideração, como as particularidades de cada membro da família, a frequência de viagens e as diferentes modalidades de planos existentes. Além disso, há vários tipos de coberturas, que vão desde as mais básicas até serviços adicionais como cirurgias, transplantes e vacinas.

 

Por isso, reunimos algumas dicas para ajudar na sua escolha:

 

  • Analise se o plano contempla as suas necessidades: Cada cobertura define o tipo de assistência à qual o beneficiário tem direito, assim como a segmentação assistencial. Por isso, verifique quais serviços você precisa, que podem variar entre cobertura ambulatorial, cobertura hospitalar com ou sem obstetrícia, referência ou odontológica.
  • Verifique no contrato os prazos de carência determinados pela ANS: Para saber quando você poderá utilizar seu plano, você deve verificar os prazos de carência. Geralmente, eles seguem as regras estabelecidas pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS).
  • Confira se a seguradora é de confiança: Peça à empresa o registro da operadora e do plano, e verifique as informações, avaliações e seu desempenho no ranking que se encontra no site da ANS.
  • Consulte as regiões atendidas pelo plano: Se você é uma pessoa que viaja muito, leve em consideração se a cobertura abrange os locais onde você pode precisar de atendimento. Se você deseja atendimento local, verifique se o plano abrange apenas a sua região, caso contrário, pode pagar mais caro por um serviço que não irá utilizar.
  • Verifique as unidades de atendimento: Confira se as unidades e profissionais pelos quais você deseja ser atendido estão inclusos no plano. Cada um deles oferece sua própria rede de hospitais, laboratórios e profissionais, por isso, compare.
  • Confira os preços: Os serviços e a idade do beneficiário influenciam nos valores – quanto mais velha a pessoa, mais caro é o plano. Solicite os valores das mensalidades para a operadora.

 

Para ter mais tranquilidade na hora de escolher o plano ideal para você, conte com a Global Opsi! Operamos em parceria com as principais seguradoras do mercado, oferecendo soluções personalizadas de acordo com cada cliente. Entre em contato!

 

Fontes: http://www.ans.gov.br/planos-de-saude-e-operadoras/contratacao-e-troca-de-plano/dicas-para-escolher-um-plano

https://www.dci.com.br/saude/escolher-o-melhor-plano-de-saude-para-voce/12532/ 

Seguro de Vida RJ

Vacinação: entenda porque é fundamental se imunizar

No dia 09 de junho, celebra-se o Dia da Imunização, para aumentar a conscientização sobre a importância das vacinas. Além de proteger o vacinado de diversas doenças, tomá-las ajuda a evitar de dois a três milhões de mortes por ano, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS). 

 

A vacinação induz o sistema de defesa a produzir imunidade, seja por meio da ação de células ou de anticorpos. Assim, a pessoa fica protegida de enfermidades como sarampo e gripe, dentre outras, que podem ser fatais. As vacinas são seguras e eficazes, pois são feitas com microrganismos enfraquecidos ou mortos da própria doença. Dessa forma, o corpo não a desenvolve, mas se torna preparado para combatê-la.

 

Quando a maior parte da população está imunizada, há uma diminuição na transmissão da doença, podendo chegar à erradicação. No Brasil, por exemplo, foram erradicadas a varíola e a poliomielite (paralisia infantil). Graças a ela, houve também uma queda drástica na incidência de casos de coqueluche, sarampo e rubéola. É importante, porém, que as pessoas sigam vacinando-se contra essas doenças, pois elas podem voltar a se tornar uma epidemia se boa parte da população não estiver imunizada.

 

Fique atento também ao calendário de vacinação contra a COVID-19! A vacina reduz o número de pessoas com casos graves, possibilitando que você fique mais protegido e que a circulação do vírus possa diminuir.

 

Outras vacinas importantes estão incluídas no Programa Nacional de Vacinação (PNV) e são aplicadas gratuitamente. Elas podem ser alteradas a cada ano, por isso fique atento para saber quais você precisa tomar. O calendário de vacinação específico para recém-nascidos e crianças deve ser seguido à risca!

 

Não deixe de se prevenir e buscar as vacinas disponíveis, mesmo aquelas que não estão no PNV!

 

Fontes: http://asaudeclinicamedica.com.br/beneficios-e-razoes-para-vacinar/
https://www.pfizer.com.br/noticias/ultimas-noticias/importancia-da-vacinacao

Especialistas em Urologia que aceitam Plano de Saúde

Incontinência Urinária: 1 em cada 25 brasileiros são atingidos pela doença!

Segundo a Sociedade Brasileira de Urologia, a incontinência urinária atinge cerca de 35% das mulheres com mais de 40 anos após a menopausa, 40% das gestantes e 5% dos homens e mulheres. 

 

Essa condição faz com que um indivíduo não tenha o controle da bexiga.

 

Quem sofre desta enfermidade, perde de maneira gradual a qualidade de vida. A doença afeta intensamente a saúde, em níveis pessoais, sociais e profissionais. 

 

Os tipos de incontinência mais usuais são:

 

  • De esforço: é mais comum em pessoas que possuem lesão do esfíncter da uretra ou prolapso de bexiga, tendo fuga de urina ao espirrar, tossir, rir, levantar algum objeto, subir escada ou fazer qualquer atividade física;

 

  • De urgência ou bexiga hiperativa: a Síndrome da Bexiga hiperativa é a principal causa dessa disfunção, que acarreta no indivíduo uma forte vontade de urinar, o impossibilitando de chegar até o banheiro a tempo;

 

  • Mista: quando o paciente possui ambas ao mesmo tempo.

 

Entretanto, existem hábitos que podem auxiliar na prevenção da perda de urina. Dentre eles:

 

  • Controle de ingestão de líquidos;

 

  • Treinamento de bexiga;

 

  • Perda de peso;

 

  • Interrompimento de práticas de fumo;

 

  • Programação para urinar;

 

  • Programação de intervalo de micções;

 

  • Controle da hipertensão e diabetes.

 

O tratamento da enfermidade pode ser realizado através de técnicas de fisioterapia e terapia comportamental. Porém, é importante se consultar com um Urologista para que o diagnóstico e o tratamento sejam precisos!

 

Devolva a sua vida todo bem-estar e saúde. Cuide-se!

 

Fonte: Incontinência Urinária – Globo.com

Perguntas mais frequentes sobre Seguros

1- As condi��es contratuais podem ser alteradas ap�s a emiss�o da ap�lice?

Podem. Mas, como qualquer altera��o contratual, depender� de comum acordo entre as partes (segurado e seguradora). No caso de seguros coletivos, as altera��es dependem da anu�ncia expressa de 3/4 do grupo interessado.

2- O que se entende por perda de direito?

Trata-se da ocorr�ncia de um fato que provoca a perda do direito do segurado � indeniza��o, ainda que, a princ�pio, o sinistro seja oriundo de um risco coberto, ficando, ent�o, a seguradora isenta de qualquer obriga��o decorrente do contrato.
Ocorre a perda de direito se:
– o sinistro ocorrer por culpa grave ou dolo do segurado ou benefici�rio do seguro;
– a reclama��o de indeniza��o por sinistro for fraudulenta ou de m�-f�;
– o segurado, corretor, benefici�rios ou ainda seus representantes e prepostos fizerem declara��es falsas ou, por qualquer meio, tentarem obter benef�cios il�citos do seguro;
– o segurado agravar intencionalmente o risco.
Al�m disso, se o segurado, seu representante, ou seu corretor de seguros fizer declara��es inexatas ou omitir circunst�ncias que possam influir na aceita��o da proposta ou no valor do pr�mio, ficar� prejudicado o direito � indeniza��o, al�m de estar o segurado obrigado ao pagamento do pr�mio vencido.

3- O que � pr�mio do

seguro?

� o valor que o segurado paga � seguradora pelo seguro para transferir a ela o risco previsto nas Condi��es Contratuais. Pagar o pr�mio � uma das principais obriga��es do segurado.

4- O que acontece se houver atraso nos pagamentos dos pr�mios?

O n�o pagamento do pr�mio nas datas previstas poder� acarretar a suspens�o ou at� mesmo o cancelamento do seguro, prejudicando o direito � indeniza��o, caso o sinistro ocorra ap�s a data de suspens�o ou cancelamento. As condi��es gerais, na cl�usula �pagamento de pr�mio�, dever�o informar em que hip�teses ocorrer�o a suspens�o e/ou o cancelamento do contrato em raz�o da falta de pagamento de pr�mio.

5- A seguradora poder� recusar a proposta?

Sim. A sociedade seguradora tem o prazo de 15 dias para se pronunciar quanto � proposta de seguro, seja para seguros novos ou renova��es, bem como para altera��es que impliquem modifica��o do risco, apresentada pelo segurado ou seu corretor. Encerrado este prazo, n�o tendo havido a recusa da seguradora, o seguro passa a ser considerado aceito.
No caso de recusa, a seguradora dever� comunicar formalmente ao segurado a n�o aceita��o do seguro, justificando a recusa.

6- Qual o prazo para receber a indeniza��o?

A liquida��o dos sinistros dever� ser feita num prazo n�o superior a 30 dias, contados a partir da entrega de todos os documentos b�sicos apresentados pelo segurado ou benefici�rio(s).
A contagem do prazo poder� ser suspensa quando, no caso de d�vida fundada e justific�vel, forem solicitados novos documentos, voltando a correr a partir do dia �til subseq�ente �quele em que forem completamente atendidas as exig�ncias pelo segurado ou benefici�rio.
� essencial que o segurado ou benefici�rio solicite � sociedade seguradora o devido protocolo que identifique a data do recebimento do aviso de sinistro e respectivos documentos.

 

 

Fonte: Susep