Planos de saúde deverão seguir percentual negativo nos reajustes, confira!

A Agência Nacional de Saúde Complementar (ANS) acaba de definir o percentual máximo de reajuste para planos de saúde individuais, cujo índice será de -8,19%. A medida vale para o período entre maio de 2021 e abril de 2022 e acontece após a queda das despesas assistenciais no setor em 2020, graças à pandemia de Covid-19. 

 

Isso significa uma redução na mensalidade, válida para todas as operadoras, a ser aplicada a partir da data de aniversário do contrato. O resultado negativo, de acordo com a ANS, ocorreu pela redução no uso de serviços na saúde suplementar. Com as medidas para diminuir a transmissão do vírus, menos usuários buscaram atendimentos que não fossem urgentes, como consultas, exames e internações, culminando em uma queda significativa se comparados com os anos anteriores.

 

Com a definição, a agência assegura que a relação contratual permanece seguindo as regras. O cálculo tem base na combinação entre a variação das despesas assistenciais com o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), e é válido para os planos individuais ou familiares médico-hospitalares regulamentados. Isso abrange 17% dos beneficiários, cerca de 8 milhões de usuários.

 

Fique atento aos seus boletos de pagamento para conferir se o percentual está sendo aplicado corretamente e na data estipulada! Lembre-se que as parcelas relativas ao período de setembro a dezembro de 2020 permanecem com os valores normais.

 

Se você deseja contratar um novo plano de saúde e quer entender tudo sobre reajustes, entre em contato com os especialistas da Global Opsi!

Fonte: https://www.gov.br/ans/pt-br/assuntos/noticias/beneficiario/ans-define-percentual-negativo-de-reajuste-para-planos-de-saude-individuais